22 maio 2017

A psicologia na Assistência Social

Ao longo das últimas décadas, a trajetória sócio-histórica da Assistência Social brasileira mostrou um salto quanti e qualitativo enquanto área específica de conhecimentos, técnicas e objetivos próprios.

Compartilhe:
Cezar Siqueira 0 Leia mais
21 maio 2017

O corpo aprisionado no espelho

“It is a restless self sculpturing of one’s body. It is a glimpse of the corporeal unconscious, forever trapped in Lacan’s double sided mirror”.

Compartilhe:
NAPSI 0 Leia mais
20 maio 2017

Famílias e transtorno mental

O transtorno mental, aquilo que no senso comum chamam de loucura, é uma questão que envolve distintas implicações biológicas, psíquicas e sociais. Em uma sociedade capitalista, a loucura não tem lugar: o sujeito portador de transtorno mental torna-se improdutivo, mais dá trabalho do que trabalha, mais demanda cuidados do que cuida.

Compartilhe:
Cezar Siqueira 0 Leia mais
19 maio 2017

A vida não tem spoiler

Sou fã incondicional de spoiler. Saber de antemão o que vai acontecer é algo que me fascina e não tira o prazer da experiência de ver o filme ou série. Será que o mocinho morre? Se há um plot twist… Saber o que vai acontecer ameniza as expectativas e faz querer ver mais.

Compartilhe:
1 Leia mais
19 maio 2017

A psicologia na violência doméstica

O fenômeno da violência no âmbito familiar tem se configurado, cada vez mais, como um problema de saúde pública em nosso país. A relevância da questão e a capacidade que a sociedade possui, hoje, para observá-la de maneira criteriosa advém de um longo processo histórico de reconhecimento de suas manifestações, implicações intra e extrafamiliares e de todo o conjunto de significações e interferências manifestas no contexto social.

Compartilhe:
Cezar Siqueira 0 Leia mais
19 maio 2017

“Dormir”

“Dormir é um ato de entrega. Uma busca em si mesmo. Um encontro com o inconsciente. O multimídia, que integrou em 2010 a exposição “Incompletudes”, na galeria Virgílio (São Paulo), foi inspirado na seguinte frase de Jacques Lacan: “O objeto se apresenta, inicialmente, em uma busca do objeto perdido. O objeto é sempre o objeto redescoberto, o objeto tomado ele próprio numa busca, que se opõe da maneira mais categórica à noção do sujeito autônomo, onde desemboca a ideia do objeto acabado.”

Compartilhe:
NAPSI 0 Leia mais
19 maio 2017

No consultório de Lacan

Este documentário apresenta um pouco sobre a vida e a obra de Jacques Lacan, a partir de depoimento de seus pacientes, familiares e colegas.

Compartilhe:
NAPSI 0 Leia mais
18 maio 2017

Medo do medo

Decido trazer o trecho de uma música, composta pela cantora portuguesa Maria Capaz, vocalista de uma banda de Rap chamada Capicuia (palavra de origem catalã que significa cabeça e cauda).

Compartilhe:
0 Leia mais
17 maio 2017

O sofrimento no trabalho

No início do século passado, enquanto a psicanálise ainda era estruturada e apenas começava a ser disseminada no campo da saúde, a ampla aplicação da gerência científica no campo do trabalho gerava uma necessidade de se compreender melhor as relações entre trabalho e processos psíquicos. Com o intuito de racionalizar o trabalho e construir um saber orientado para a melhoria da produtividade, os psicólogos da época se apresentaram a serviço dos interesses capitalistas, construindo teorias e técnicas que satisfizessem as demandas da produtividade. 

Compartilhe:
Cezar Siqueira 0 Leia mais
16 maio 2017

A perda da identidade na velhice

“Eu me sinto inútil e é horrível se sentir assim”. Essa, dentre tantas falas de pacientes idosos, levaram-me a questionar como trabalhar com esses sujeitos que apresentam um discurso construído em torno da noção de um corpo em declínio, que tem inevitavelmente efeitos sobre o sujeito, e desse sujeito que se encontra às voltas com a sustentação de seu desejo, o que por muitas vezes sucumbe no confronto com o corpo prometido a morte.

Compartilhe:
0 Leia mais